TOMADA URBANA – ATO V

Tomada Urbana ato V - Cartaz

.

SALA PRETA REALIZA QUINTA EDIÇÃO DE MOSTRA INTERNACIONAL DE ARTE DE RUA

O Projeto homenageia grupo equatoriano que influenciou o coletivo barramansense.

A “Tomada Urbana” está em seu quinto ato. Depois de quatro anos consecutivos, a mostra internacional de arte urbana promovida pelo Coletivo Teatral Sala Preta, apresenta diversas linguagens artísticas na programação. Neste ano, o grupo leva às ruas teatro, música, vídeoclipes musicais, curtas-metragens de ficção e documentários, e também artes visuais com intervenções plásticas e performáticas. A ocupação da silhueta urbana é o principal tema dos acontecimentos.

O objetivo será espalhar cultura pelas ruas da cidade, que será apresentado de forma gratuita para as pessoas. Para participar, basta chegar bem curioso e atento aos locais indicados na programação. Em sua quinta edição a Tomada Urbana contará com obras e participações de artistas da Colômbia, Equador, Espanha, Mali, Inglaterra e de diferentes cidades do Brasil, como Rio de Janeiro, Niterói, Miguel Pereira e Campinas. A mostra acontecerá em diferentes cidades da Região, como Resende, Volta Redonda e Barra Mansa.

Mas, o que é a “Tomada Urbana”? Ela surgiu como um forma de ocupar as ruas com teatro e em locais sem equipamentos de exibição artística. Era outubro de 2009 e os artistas da Sala Preta, decidiram levar às ruas todo seu repertório,  desde janeiro daquele ano, quando o coletivo foi formado. A ideia era concentrar toda a programação em uma só semana. O Coletivo ainda não tinha completado um ano de formado, e já tinha três espetáculos no repertório: “O Cascudo Douradinho”, “A Noiva de Gonzagão” e “Cantos de Euclides”. Naquela época, o ator e bonequeiro colombiano Edwar Tápia, que fazia um intercâmbio com os atores barramansenses também se apresentou com o espetáculo “Cortina do Céu”. Ali então aconteceu a primeira mostra internacional de teatro de rua de Barra Mansa e Região do Médio Paraíba Fluminense.

No ano seguinte o grupo foi convidado a participar da “Revuelta a la Mitad del Mundo, realizado pela Corporación Humor y Vida, de Quito, no Equador. Aquele projeto consistiu em atender as comunidades esquecidas pelos governos e que estão em zonas de conflitos armados na fronteira equatoriana com a Colômbia. Foram cerca de 40 dias sem luz elétrica ou água encanada, passando por povoados hostis à presença de estrangeiros e viajando nos mais variados meios de transportes.

A “Tomada Urbana” foi tomando cada vez mais o território e transformando o lugar ‘Barra Mansa’ num espaço de criação e difusão artística, percorrendo os bairros e distritos mais afastados. No ano passado, o Sala Preta contou com a participação das companhias mexicanas La Dueños e Coral Soldado. Além de bandas e músicos, como Beatbass Hightech, o Quinteto Vera Cruz, Vitor Fontes, Sara Bentes e Felipe Torres. Coube ao Sala Preta, além dos Contos dos Continentes,  participar também com uma performance musical, chamada Marginal Chic, que apresentou um musical bem inusitado em frente a um bar daqueles conhecidos como “pé-de-chinelo” no centro da cidade.

Marcelo Bravo, produtor do evento, destaca que “o Sala Preta foi por dois anos consecutivos na Revolta no Equador. A força das ações do Humor y Vida para chegar nas regiões mais remotas, abandonadas e carentes de seu país transformou nosso modo de olhar para nossa própria comunidade”. Os artistas barramansenses lembram que uma reflexão é fundamental para que o coletivo persista na realização da “Tomada Urbana”: “Porque não alcançar as nossas ‘fronteiras’, nossas margens e agir de lá para cá?”, questiona Bravo. Por isso desde a segunda edição a Mostra preserva o compromisso de levar arte nas regiões com menos oportunidades culturais cotidianas de Barra Mansa.

A abertura oficial da “Tomada Urbana” consistirá em um grande cortejo artístico pelas ruas do centro da cidade, no dia 19 de novembro, terça-feira, às 15h. Ainda nesse dia, às 19h, a mostra homenageará a Corporación Humor y Vida, pelo projeto “Revuelta a La Mitad del Mundo”. O Sala Preta propõe abrir a mostra com cinema de rua exibindo três curtas-metragens documentais sobre a participação do grupo barramansense no Equador.

Bem diferente das salas de cinema tradicionais, os vídeos serão exibidos numa tela montada nas escadas na Rua Bernardino Silva, que dão acesso à Av. Domingos Mariano, próximo a um supermercado. Depois da projeção, a colombo-equatoriana Cony Angel (organizadora da “Revuelta”) e os artistas que participaram da caravana, irão conversar com o público sobre essa incrível experiência. Os filmes foram produzidos e realizados pelo cineasta espanhol Octavie Royo Olazaguirre, da Korovo Films. Toda a programação é grátis.

.

;

Leandra Espirito Santo - PROJETO_DESDOBRAMENTOS

DESDOBRAMENTOS: A artista Leandra Espírito Santo fará enormes barcos de origami
 
 

OBRAS INÉDITAS NA REGIÃO DO MÉDIO PARAÍBA FLUMINENSE

Uma das novidades do projeto neste ano é que além de três bairros e distritos de Barra Mansa, o projeto também realizará apresentações e intervenções em Resende e Volta Redonda. Além de Cony Angel, a mostra contará com várias participações internacionais, como o equatoriano bonequeiro Camilo Pacheco, e o inglês James Turpin, que hoje vive em Miguel Pereira. Isso, sem contar com os vídeos do espanhol Octavie Royo, gravados na Colômbia, e em Mali, na África.

Todos esses convidados estarão pela primeira vez na Região Sul Fluminense e algumas obras de artes visuais serão elaboradas especialmente para as ruas das cidades que receberão o projeto. Os artistas Alexandre Pinheiro, Ana Luísa, Ana Costa, Leandra Espírito Santo e o fotógrafo André Sodré levarão para as ruas de Barra Mansa, Resende e Volta Redonda, obras como varais de fotografia, carimbos nas calçadas, origamis enormes, e colagens em muros. Segundo Thiago Delleprane, coordenador da programação de artes visuais da mostra “há artistas que levarão pela primeira vez suas obras para as ruas e há outros que já têm a silhueta urbana como principal referência para sua produção”. Delleprane ressalta ainda que o principal objetivo da Mostra é promover a troca, o intercâmbio entre os artistas, o público, a cidade e suas relações, por isso a programação mistura artistas estreantes e experientes, artistas locais e internacionais, público do centro e dos bairros.

Esse é um dos únicos eventos da Região a explorar as ruas das cidades como elemento principal para a produção artística. Dessa forma, a “Tomada Urbana” se destaca com uma referência não só para o estado fluminense, como para todo o país e o exterior. Delleprane conclui que “A cultura de uma região pode ser fortalecida por meio de encontros como este. Aliás, por meio deles que a arte e a cultura vão resistir e manterem-se ativas”.

 .

 .

 .

EDIÇÃO DE 2014 DO PROJETO JÁ PODE RECEBER INVESTIMENTOS POR INCENTIVO FISCAL

O patrocínio cultural se apresenta como uma das estratégias mais eficazes de aproximação de uma organização com seus públicos e com a comunidade. A legislação de incentivos fiscais cumpre ao longo dos anos um papel de alavanca para o desenvolvimento do setor cultural. Essas leis se tornaram uma das principais ferramentas para viabilização de projetos culturais, fazendo parte da política pública de cultura do país e das unidades da federação. De acordo com o produtor da Tomada Urbana, Marcelo Bravo, o projeto “se enquadra nos parâmetros propostos nas recentes discussões acerca da cultura brasileira e regional. Pois, resgata, valoriza e desperta o conceito de identidade próprio e necessário para a construção da cidadania, tão em voga no cenário contemporâneo das ações públicas e privadas.”

 .

O Projeto da Tomada Urbana 2014 já está inscrito sob o PRONAC 133679, no valor de R$ 236.330,00. O mesmo mecanismo injeta milhões de reais em projetos já altamente econômicos como circulação de músicos já consagrados pela mídia, festivais de rock e grandes circos internacionais. Se o interessado  em patrocinar for Pessoa Jurídica, o limite é de 4% do Imposto devido. Poderm contribuir empresas tributadas com base no lucro real. O valor apurado poderá ser deduzido integralmente, obedecendo ao limite, no período em que forem efetuados os patrocínios. Já para Pessoa Física o limite é de 6% do Imposto devido. O contribuinte deverá antecipar a quantia da colaboração, para depois deduzi-la na Declaração Completa do Imposto de Renda.

 .

Bravo destaca ainda que o projeto este ano não obteve patrocínio suficiente para cumprir com todas as necessidades de produção previstas no edital publicado pelo Sala Preta em maio deste ano. “Cumprimos todos os prazos que previmos em janeiro. Publicamos o edital, abrimos as inscrições, recebemos, mais de 60 atividades entre oficinas e apresentações, de todo o mundo. Recebemos inscrições de 4 países entre 3 continentes, e de 19 cidades entre 10 estados brasileiros. Mas não tivemos patrocínio e cancelamos o edital.” Os artistas inscritos entre outros parceiros do Sala Preta, então se mobilizaram e resolveram fazer o evento na “guerrilha”. Danilo Nardelli, coordenador do projeto junto com o Bravo, revela que nunca é fácil reduzir orçamento ou adaptar o projeto e conta que “este ano foi captado cerca de 5% do valor do projeto. Nem tudo é dinheiro. Conseguimos muito apoio com o comércio local. Mas, tem conta que não aceita pregos, colas e fitas adesivas como pagamento. Isso para o artista significa só uma despesa a menos.” Mas, mesmo assim enfrentaram todas os obstáculos e prometem promover um dos principais acontecimentos artísticos da Região.
.

.

sesi cultural

.

.

.

OFICINAS GRATUITAS 

.

O Sala Preta assinou uma parceria com a FIRJAN por meio do SESI Cultural para oferecer em Barra Mansa mais de 40h de oficinas gratuitas em diversas áreas artísticas. As oficinas acontecerão entre os dias 26 e 28 de novembro, na Sala de Espetáculos Tulhas do Café, localizado no Parque da Cidade. A coordenadora das oficinas da “Tomada Urbana”, Viviane Saar, garante que não será preciso experiência profissional para participar: “o maior aprendizado dessas oficinas será o encontro de toda a comunidade com artistas de diferentes áreas, regiões, idiomas e culturas”. Para participar das oficinas o interessado deve encaminhar um e-mail para salapreta@gmail.com com seu nome, telefone, RG e CPF, e o nome das oficinas que deseja participar. Os interessados podem se inscrever em quantas oficinas quiser. Porém, caso haja lotação será convidado a escolher no máximo duas.

Saiba mais sobre cada oficina:

.

1) DESDOBRAMENTOS

Com  Leandra Espírito Santo (Rio de Janeiro)

Série de dobraduras gigantes feitas no ambiente urbano em meio à rotina diária, e instaladas para explorar o potencial destas dobraduras no âmbito da performance, da escultura pública e no da intervenção urbana.

Dia 20/11, de 13h às 15h – Bairro Paraíso de Cima

Dia 21/11, de 10h às 12h – Corredor Cultural Parque Centenário)

10 Vagas (Para cada dia)   |   Classificação: 14 anos

.

2) ELABORAÇÃO E MANIPULAÇÃO DE BONECOS

Os bonecos ou formas animadas movem uma linguagem poética universal, possibilitando um intercâmbio mais dinâmico . Experimentando materiais reciclados e técnicas de manipulação para a confecção dos bonecos.

Com Camilo Pacheco (Equador)

Dias 26/11 a 28/11, às 19h às 22h – Tulhas do Café (Parque da Cidade)

20 vagas  |  Classificação: 14 anos

.

3) CARIMBOS

Com Ana Luísa Flores (Volta Redonda)

A oficina propõe a construção e elaboração de carimbos artesanais, feitos com materiais fáceis de se encontrar. Ao final da oficina cada participante terá alguns carimbos que servirão para futuras impressões.

Dia 26/11, de 14h às 18h – Local: Tulhas do Café (Parque da Cidade)

15 vagas   |   Classificação: 14 anos

.

4) COLAGENS

Com Ana Costa (Volta Redonda)

A oficina se propões a ser um espaço para a experimentação de possibilidades expressiva da das técnicas de colagem, muito presentes no processo criativo da artista.

Dia 27/11, de 14h às 18h  – Tulhas do Café (Parque da Cidade)

15 vagas   |   Classificação 16 anos

.

5) DERIVAS SONORAS

Com Cambar Coletivo – Raquel Aguilera e James Turpin (RJ/MG/SP)

Utiliza conceito e prática do método da Deriva junto a pesquisa de intervenções sonoras, materiais pré-gravados e composições urbanas. Trata da narração e recriação em fluxo de memórias e territórios afetivos.

Dias 26/11 e 27/11, de 14h às 18h – Tulhas do Café (Parque da Cidade)

15 Vagas   |   Classificação: 16 anos

Material: Os participantes devem levar seus celulares carregados, com fones de ouvido e cabos conectores.

.

6) JOGOS TEATRAIS

Com Cony Angel (Equador)

Os jogos são ferramentas riquíssimas para o desenvolvimento do trabalho cênico. A artista trabalhará técnicas de clown para atores profissionais e amadores.

De 26/11 a 28/11, de 8h às 12h  – Tulhas do Café (Parque da Cidade)

25 vagas   |   Classificação: 14 anos

.

.


Cambar Coletivo - Entre Territórios com James Turpin

O INGLÊS James Turpin, integra o Cambar Coletivo, um grupo com artistas residentes em três estados brasileiros. 
.

ARTISTAS DE DIVERSAS NACIONALIDADES OCUPAM AS RUAS

a programação estão artistas internacionais como a atriz Cony Angel e o ator Camilo Pacheco, que apesar de serem equatorianos, não são da mesma companhia. Camilo, Cony e Suzana Zana (Sala Preta), se conheceram na “Revuelta a La Mitad del Mundo” de 2012. Além dos equatorianos, marcam presença na “Tomada Urbana” o inglês James Turpin, com uma oficina, em parceira com a atriz Raquel Aquilera, apresentará a performance “Entre Territórios” representando o Cambar Coletivo. O Cambar é formado por artistas dos estados do Rio de Janeiro, Minas Gerais e São Paulo, e se reúnem e montam seus espetáculos muitas vezes por meio de telepresença e videoconferências pela internet. O espanhol Octavi Royo participa por meio de seus curtas metragens. O cineasta produziu alguns documentários cujos personagens são povos pouco conhecidos em todo o mundo, como em Mali no continente africano, ou em Bella Flor, uma pequena cidade da Colômbia. Dentre os filmes estão alguns que contam com a participação do Sala Preta e da Corporación Humor y Vida.

En Caja de Nuna - com Cony Angel - Equador         kaviko

A COLOMBIANA , Cony Angel e o equatoriano Camilo Pacheco, também estão na Programação

.

As cidades terão as ruas tomadas por grupos, bandas e cineastas vindos da capital fluminense e de Niterói, como a dupla Fabrício Moser e Cadu Cinelli com “Duo sobre Desvios”, o grupo Será o Benedito?!, com  “O Salto”, a cantora barramansense-carioca Glaucia Cris, e os performers Sara Panambi e Felipe Espínola com “Traverter”.  Também são do Rio de Janeiro o grupo Arvorá, que apresentará “Fragmento sobre a Espera”, e a artista, que apesar de ser natural de Volta Redonda, hoje reside no Rio, Leandra Espírito Santo com a instalação “Desdobramentos”.

Os vídeos cariocas são representados por “Minha Tia, Meu Primo” de QUEM?, “Lágrimas de Oxum” e “Eu Nunca Deveria ter Voltado”, de Renan Brandão e “Antigamente”, de Sérgio Santeiro esse último de Niterói. Para Rafael Crooz, coordenador da programação de vídeos da “Tomada Urbana”, todos os filmes foram inscritos para participarem da mostra, e a maioria foi produzida por profissionais da Região. O curta “Voto de Domingo”, por exemplo é do barramansense Thiago Almeida, da Andaime Filmes. São de Volta Redonda os videoclipes das bandas Quarto do L, com a música “Da Mesa Para o Quarto”, produzido pela Casuloroots Produções; da banda Amplexos, com a música “Sim”; do Thiago Elniño com a música “Amigo Branco”, estes dois produzidos e dirigidos por Rabú Gonzales.

Pratas da casa, a mostra conta também com a participação das bandas de Volta Redonda: Amplexos e Quarto do L. A cantora Glaucia Cris apesar de nascida em Barra Mansa, desenvolve seus trabalhos na cidade do Rio de Janeiro há muitos anos. Completando a programação musical está a voz doce da resendense Ive Seixas, o rap de Thiago Elniño, e o som sambado do bom malandro Ed Zambroni e seu bando. O teatro da região será mostrado pela Cia. Muribeca com “Vida Muribeca” e pelo Coletivo Teatral Sala Preta, espetáculos do projeto “Contos do Continentes” e “Muito Além Jardim”. As artistas plásticas Ana Luisa Flores, com o trabalho “Camisetas” e Ana Costa, com “Colagens Urbanas” e o artista Alexandre Pinheiro com “Janela” completam o time de artistas do interior do Estado.

.

.

Muito Além do Jardim - Sala Preta - Foto-Bravo

O SALA PRETA integra a programação com o espetáculo “Muito Além do Jardim” e com obras do projeto “Contos dos Continentes”

.

.

PROGRAMAÇÃO  –  NOVEMBRO

Dia 19 – TERÇA

Local: CENTRO – BARRA MANSA

ARTES VISUAIS – Janela – Alexandre Pinheiro (Barra Mansa/RJ)

ARTES VISUAIS – Interferência – Ana Costa (Volta Redonda/RJ)

15h – Cortejo Partindo do Parque da Cidade.

Local: CENTRO – Estacionamento do Hotel Palace Ferreira.

VÍDEO – 20h – Revuelta en el Palmar; Revuelta a la Mitad del Mundo 2010; e  Revuelta 2011 (Espanha-Equador)

20h50min: MESA REDONDA – A Revolta além da metade do mundo

Com Cony Angel, Camilo Titerejero, e o Sala Preta (Participantes do Projeto Revuelta a La Mitad del Mundo)

.

Dia 20 – QUARTA

Local: BAIRRO PARAÍSO DE CIMA- BARRA MANSA

ARTES VISUAIS – 13h30min – Desdobramentos – Leandra Espírito Santo (RJ)

TEATRO – 15h – En Caja de Nuna – Humor y Vida (Equador)

TEATRO – 16h – As Histórias de Ananse e Ifá o Adivinho – Sala Preta

TEATRO – 16h40min – De… Ambulantes – Kaviko Titerejero (Equador)

DANÇA – 18h30min – Breake Dance Estilo Livre – Tácio Fidélis (Volta Redonda/RJ)

MÚSICA – 18h40 – A Música da Alma – Banda Amplexos (Volta Redonda/RJ)

CINEMA – 20h – Sorriso de Garmi (Mali, África e Espanha); SIM – Amplexos (Volta Redonda/RJ); O Laudes Infantis, Da Utopia à Comunidade (Colômbia-Espanha); Lágrimas de Ogum (Rio de Janeiro/RJ); Amigo Branco de Thiago Elniño (Volta Redonda/RJ)

.

Dia 21 – QUINTA

Local: CENTRO – BARRA MANSA– Corredor Cultural

ARTES VISUAIS – 10h – Desdobramentos – Leandra Espírito Santo (Rio de Janeiro)

Local: CENTRO BARRA MANSA– Rua Duque de Caxias

ARTES VISUAIS – 14h – Projeto Corrigenda – Ana Luísa Flores (Volta Redonda/RJ)

MÚSICA – 14h30min – Bianco Marques (Barra Mansa/RJ) e Cony Angel (Equador)

TEATRO – 15h – A Salamanca do Jarau – Sala Preta (Barra Mansa/RJ)

TEATRO – 15h30min – Caja de Nuna – Humor y Vida (Equador)

TEATRO – 16h10min – Boto – Sala Preta (Barra Mansa/RJ)

Local: BAIRRO NOVA ESPERANÇA – BARRA MANSA

ARTES VISUAIS – Interferência – Ana Costa (Volta Redonda/RJ)

MÚSICA – 18h30min – Bianco Marques (Barra Mansa/RJ) e Cony Angel (Equador)

TEATRO – 19h – En la Tierra Como en el Cielo – Kaviko Titerejero (Equador)

CINEMA – 20h: Minha Tia, Meu Primo (Rio de Janeiro/RJ); Eu Nunca Deveria Ter Voltado (Rio de Janeiro/RJ); Atigamente (Niterói/RJ); Voto de Domingo (Barra Mansa); Nuestro Pequeño Bunker (España).

TEATRO – 21h – Duo Sobre Desvios – Cadu Cineli e Fabrício Moser (Rio de Janeiro/RJ)

.

Dia 22 – SEXTA

Local: CENTRO – BARRA MANSA – Rua Rio Branco

ARTES VISUAIS – 15h – Registro de Passagem – Ana Luísa Flores (Volta Redonda/RJ)

TEATRO – 15h30min – O Salto – Será o Benidito?! (Rio de Janeiro/RJ)

TEATRO – 16h30min – Vida Muribeca – Cia Muribeca (Volta Redonda/RJ)

Local: CENTRO – BARRA MANSA – Próximo à Ponte Ataulfo Pinto dos Reis (Ponte dos Arcos)

PERFORMANCE – 18h30 –  Traverter – Sara Panambi e Felipe Espíndola (Rio de Janeiro/RJ)

Local: CENTRO – BARRA MANSA – Praça da Liberdade

TEATRO – 19h30min – Duo Sobre Desvios – Cadu Cineli e Fabrício Moser (Rio de Janeiro/RJ)

MÚSICA – 20h30min – Glaucia Cris (Rio de Janeiro/RJ)

MÚSICA – 22h – Breve e Só – Quarto do L (Volta Redonda/RJ)

.

Dia 23 – SÁBADO

Local:  RESENDE – Próximo ao Cine Vitória

PERFORMANCE – 14h30min – Registro de Passagem – Ana Luísa Flores (Volta Redonda/RJ)

TEATRO – 15h – O Salto – Será o Benidito?! (Rio de Janeiro/RJ)

TEATRO – 15h50 – Araguaia dos Carajás – Sala Preta (Barra Mansa/RJ)

TEATRO – 16h10 – De… Ambulantes – Kaviko Titerejero (Equador)

DANÇA – 17h – Breake Dance Estilo Livre – Tácio Fidélis (Volta Redonda/RJ)

MÚSICA – 17:10h – A Música da Alma – Banda Amplexos (Volta Redonda/RJ)

CINEMA – 20h – FESTA NA SUBTERRÂNEA – Encerramento do Observatório da Interrogação. Exibição dos filmes: Da Mesa Para o Quarto, Quarto do L (Volta Redonda/RJ); O Homem Que Deixou de Falar (Espanha); Perfume (Barra Mansa/RJ); SIM – Amplexos (Volta Reonda/RJ); Amigo Branco de Thiago Elniño (Volta Redonda/RJ); e Voto de Domingo (Barra Mansa/RJ)

.

Dia 24 – DOMINGO

Homenagem aos 68 anos do GACEMSS

Local: VILA SANTA CECÍLIA – VOLTA REDONDA

ARTES VISUAIS – 10h – Determinações Equivalentes – André Sodré (Volta Redonda/RJ)

Local: Em frente ao Teatro GACEMSS

13h – Grande Cortejo

MÚSICA – 13:30h – Ed e o Bando Imaginário – Ed Zambroni (Volta Redonda/RJ)

PERFORMANCE – 15h15min – Fragmento Sobre a Espera – Arvorá Teatro (Rio de Janeiro/RJ)

DANÇA – 15h30min – Breake Dance Estilo Livre – Tácio Fidélis (Volta Redonda/RJ)

TEATRO – 15h40min – En Caja de Nuna – Humor y Vida (Equador)

Local: Beco da Gordura

MÚSICA – 16h20min – Andorinha Só – Ive Seixas – (Resende/RJ)

.

Dia 25 – SEGUNDA

Local: DISTRITO DE RIALTO – BARRA MANSA

Interferência – Ana Costa (Volta Redonda/RJ)

TEATRO – 14h – En Caja de Nuna – Humor y Vida (Equador)

TEATRO – 15h – Muito Além do Jardim – Sala Preta(Barra Mansa/RJ)

MÚSICA – 16h – Thiago Elniño (Volta Redonda/RJ)

Local: CENTRO – BARRA MANSA – Rua Praça da Liberdade

TEATRO – 19h– En la Tierra Como en el Cielo – Kaviko Titerejero (Equador)

MÚSICA – 20h30min – Andorinha Só – Ive Seixas (Resende/RJ)

MÚSICA – 21h – Thiago Elniño (Volta Redonda/RJ)

.

Amplexos - Divulgação

Artistas regionais de destaque nacional recheiam a programação musical como “Amplexos” (foto), “Quarto do L” e Thiago Elniño

A Mostra conta ainda com uma performance do artista James Turpin, natural da Inglaterra. A performance ENTRE TERRITÓRIOS – COMPOSIÇÃO URBANA  foi marcada para o dia 27 de novembro, quarta feira, de 9h às 12h. O ponto inicial de cada sessão fica na Praça da Liberdade, no centro de Barra Mansa. A Performance trata da repetição contínua apresentada para uma pessoa por vez, em sessões de 15 min.

.

SERVIÇO

TOMADA URBANA –ATO V

De 19 a 28 de novembro pelas ruas de Barra Mansa, Resende e Volta Redonda.

Confira a classificação na programação.

Gratuito

Mais informações:

http://www.salapreta.com.br

http://www.facebook.com/salapreta

salapreta@gmail.com

Coordenação de Projeto: Marcelo Bravo e Danilo Nardelli

Direção de Produção: Marcelo Bravo

Coordenação Técnica: Rafael Crooz

Coordenação de Artes: Visuais Thiago Delleprane

Coordenação de Música: Bianco Marques

Coordenação de Oficinas: Viviane Saar

Assistência de Produção: Clarissa Anastácio, Kaline Leigue e Suzana Zana

Vídeo: Casuloroots – Diego Bonifácio e Marcela De Aguiar

Arte Gráfica e Assessoria de Imprensa: Marcelo Bravo

Fotos: Clarisse Melo

Realização: Sala Preta

Agradecimentos: Dr. Marinho Branco, Shana Cancino, Paty Galarza e a todos que colaboraram para que a Tomada Urbana acontecesse desde 2009.

.

.

Tomada Urbana ato V - apoios]

.

.

ARQUIVOS PARA DOWNLOAD

Comunicado Prorrogação de Prazo – Tomada Urbana ato V

Edital_ Tomada_ato5_2013_Sala_Preta

 ANEXO_I_INSCRIÇÃO_1a_SEMANA_ TOMADA_URBANA_ato_V

ANEXO_II_Inscrição_2aSEMANA_TOMADA_URBANA_ATO_V-TODAS

ANEXO_III_CONFIRMAÇÃO_ TOMADA_URBANA_ato_V

Convocatoria_ Tomada_ato5_2013_Sala_Preta  ESPAÑOL

Anúncios
1 comment

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: