Arquivo

Monthly Archives: Abril 2014

TEMPO DE RECONHECIMENTOS

No dia 25 de abril o Sala Preta foi homenageado pela FEBACLA – Federação Brasileira dos Acadêmicos de Ciências Letras e Artes. A homenagem destacou a contribuição do coletivo para a preservação da arte e da cultura fluminense, mas especialmente pela realização de projetos como o NASCE UMA CIDADE e a TOMADA URBANA.
Vale lembrar que o Sala Preta também é uma das organizações indicadas ao Prêmio de Cultura do Governo do Estado do Rio de Janeiro, e os premiados serão conhecidos no dia 10 de maio. Aproveitamos para agradecer a todos que acreditam em nossos projetos e que contribuem para esse reconhecimento!

Medalha em homenagem concedida pela FEBACLA, pelas mãos de seu presidente, o Dr. Alexandre da Silva Camêlo Rurikovich Carvalho em cerimônia no auditório do SEST/SENAT em Barra Mansa. Quem nos representou foi o produtor Bravo. Foto: Rafael Crooz

Medalha em homenagem concedida pela FEBACLA, pelas mãos de seu presidente, o Dr. Alexandre da Silva Camêlo Rurikovich Carvalho em cerimônia no auditório do SEST/SENAT em Barra Mansa. Quem nos representou foi o produtor Bravo. Foto: Rafael Crooz

Medalha em homenagem concedida pela FEBACLA, pelas mãos de seu presidente, o Dr. Alexandre da Silva Camêlo Rurikovich Carvalho em cerimônia no auditório do SEST/SENAT em Barra Mansa. Quem nos representou foi o produtor Bravo. Foto: Rafael Crooz

Medalha em homenagem concedida pela FEBACLA, pelas mãos de seu presidente, o Dr. Alexandre da Silva Camêlo Rurikovich Carvalho em cerimônia no auditório do SEST/SENAT em Barra Mansa. Quem nos representou foi o produtor Bravo. Foto: Rafael Crooz

1275101_550878354974860_2028018365_o

Três amigos que viajam pelo mundo e se deparam com os desafios da sobrevivência e com problemas cotidianos da humanidade. O espetáculo “Muito além do jardim” será encenado neste domingo, 6, no Gacemss (Grêmio Artístico e Cultural Edmundo de Macedo Soares e Silva), em Volta Redonda. São duas sessões: às 11h e 16h30.

A promoção é do Coletivo Teatral Sala Preta e da Caravana de Teatro Infantil.

A história mostra as principais inquietações dos três aventureiros: o uso consciente da sacola plástica e o tratamento de resíduos, como o óleo de cozinha, habitualmente descartado pelos ralos das pias. “Com muito bom humor e imaginação, a peça destaca a importância da consciência ambiental e como as mudanças de hábitos poderão oferecer novas posturas diante do processo de degradação ambiental”, consta no material de divulgação da peça.

Quem é quem no espetáculo

. Elenco 1: Bianco Marques, Rafael Crooz e Suzana Zana
. Elenco 2: Thiago Delleprane, Danilo Nardelli e Kaline Leigue
. Direção e adaptação de texto: Nathalia Dias Gomes
. Cenografia e figurino: Davi Cunha, Lucas Fagundes, Thiago Delleprane e Nathalia Dias Gomes
. Produção: Viviane Saar
. Cenotécnica: Rafael Crooz
. Arte-gráfica: Marcelo Bravo

Serviço

> Muito além do jardim – Dia 6 DE ABRIL, no Gacemss, às 11h e 16h30. Duração: 45 minutos. Rua 14, nº 22, Vila Santa Cecília, em Volta Redonda. Telefone: (24) 3342-4202.

 

 

O final de semana de estréia do Cena Papagoiaba trouxe para o palco do Teatro Gacemss I o espetáculo Galo na Rinha,

Solidão em cena

 

Espetáculo apresenta seis personagens que vivem a solidão de forma autêntica e inusitada

Depois de estrear em Volta Redonda, cumprir temporada no Rio de Janeiro e rodar festivais pelo Brasil, o espetáculo ‘Galo na Rinha’, vencedor dos prêmios de Melhor Direção (Alexandra Garnier) e Melhor Trilha (Bianco Marques), além das indicações de Melhor Atriz (Luciene Martes) e Melhor Espetáculo, retorna aos palcos do Gacemss, dias 29 e 30, dentro do projeto Cena Papagoiaba.

Em parceria com o Coletivo Teatral Sala Preta, o Gacemss abre as portas para artistas e grupos artísticos regionais em horário nobre, todo último fim de semana de cada mês, para dar visibilidade aos trabalhos autorais e promover o encontro do artista com seu público.
O monólogo ‘Galo na Rinha’ nasceu de uma pesquisa realizada pela autora Alexandra Garnier e pela atriz voltarredondense Luciene Martes. A pesquisa consistiu da percepção da solidão humana em algumas de suas diversas formas, buscando neste ‘estado’ suas facetas dramáticas e cômicas.

O espetáculo apresenta seis personagens que vivem a solidão de forma autêntica e inusitada. Através das sutilezas de situações cotidianas, os personagens revelam seres únicos e extremamente humanos, que falam sobre diversas formas de solidão, através de abordagem comovente e bem humorada.

A humanização está na velha que sente inveja da filha; na prostituta que quer ser atriz e põe na fama a condição para sua felicidade; na garçonete que vive seus dias tão repetidamente iguais, que de tanto encaixar a bandeja, seu corpo se curvou sobre ela; na mulher que em sua loucura, profere as palavras mais sensatas; na sacoleira que mente, engana e subverte, com o único intuito de vender seus ordinários produtos; e até no anjo da guarda, que jamais seria chamado de ‘humano’, se não fossem os vícios e sentimentos como a ociosidade e a solidão herdados dos homens. Através de situações cotidianas, o espetáculo une o drama e o humor, naquilo que se pode rir e chorar, quase simultaneamente.

A atriz Luciene Martes retorna aos palcos após o monólogo ‘Apareceu a Margarida’, de Roberto Athaíde, no qual conquistou cinco prêmios de Melhor Atriz. Com experiência em roteiro e dramaturgia e em sua primeira incursão pela direção, Alexandra Garnier conta com supervisão de Sura Berditchevsky, cenário de Doris Rollemberg, iluminação de Rafael Crooz e trilha de Bianco Marques.

Ficha técnica

Texto e Direção: Alexandra Garnier
Supervisão: Sura Berditchevsky
Elenco: Luciene Martes
Cenografia: Doris Rollemberg
Cenotécnico: Ataíde Toledo
Iluminação: Rafael Crooz
Trilha musical: Bianco Marques
Preparação corporal: Rafael Crooz
Operadora de som: Wallace Fortini
Programação visual: Bruno Perlatto
Elaboração de projeto: Zane Garnier
Produção: Garnier Produções Ltda